Dentre as pessoas que sofrem com a má digestão à lactose, existem grandes diferenças nas quantidades de derivados lácteos que podem ser consumidos sem causar desconfortos. Não é preciso cortar todas as comidas que contém lactose de sua dieta, você pode ajustar as quantidades ingeridas e recorrer à enzima lactase para não ter problemas.

A primeira atitude de quem descobre a má digestão à lactose é cortar alimentos lácteos da dieta, mas, apesar de diminuir ou eliminar os desconfortos no momento, os efeitos a longo prazo podem ser preocupantes. Quem não ingere leite e derivados, perde grandes fontes de cálcio, vitamina D e outros nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo.

Crianças e adolescentes que não tomam quantidades suficientes de leite, podem não atingir suas necessidades de cálcio, acarretando na deficiência de massa óssea. E, para os idosos, uma dieta insuficiente em lácteos também pode aumenta o risco de osteoporose, estando ainda ligada a maiores riscos de fraturas!

No geral, o leite e seus derivados têm efeitos positivos em diferentes aspectos da saúde de um indivíduo, incluindo uma redução do risco de hipertensão, câncer colorretal e diabetes. Por isso, o melhor é contar com o auxílio de Lactosil para digerir a lactose e aproveitar todos esse benefícios que os alimentos proporcionam!

 

Referências: Dairy Nutrition, Nutrition Australia